Lexikon – obras de referência

Lexikon é uma palavra de origem grega (leksikós) com grafia latina, que quer dizer “próprio das palavras ou referente a elas”, “o repertório de palavras de uma língua ou de um texto” ou “vocabulário”.

A Lexikon Informática foi criada em 1994, como uma subsidiária da Editora Nova Fronteira, com o objetivo de desenvolver ferramentas de apoio, consulta, aperfeiçoamento e desenvolvimento de produtos digitais.

A empresa tornou-se líder no mercado de softwares de referência com o Dicionário Aurélio Eletrônico e o Corretor Ortográfico Lexikon. Produziu também a Gramática Eletrônica e o Dicionário Espanhol-Português, em CD-ROM.

Em 2007, ganhou independência e passou a se chamar Lexikon Editora Digital, se tornando titular das obras de referência até então editadas pela Nova Fronteira, como a Nova gramática do português contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra, o Dicionário universal de citações, de Paulo Rónai, o Dicionário etimológico da língua portuguesa, de Antonio Geraldo da Cunha e o Minidicionário Caldas Aulete.

Em agosto de 2007, a Lexikon inovou com o lançamento do Aulete Digital, o primeiro dicionário interativo, aberto e totalmente gratuito, com mais de 280.000 verbetes em sua base inicial, que chegou a mais de 700 mil downloads, ocupando o primeiro lugar entre os programas baixados no país.

Em 2008, foi lançada a versão online do Aulete, o Dicionário Aulete, tornando possível a consulta gratuita ao maior dicionário digital da língua portuguesa. No mesmo ano, foi lançada a Palavra do Dia, agora no ar no site do Aulete e no Facebook. Além disso, essa plataforma online inclui uma gramática básica gratuita baseada na Nova gramática da língua portuguesa, de Celso Cunha, e uma página de consulta ao Dicionário analógico.

Paralelamente à veiculação de conteúdo online, a Lexikon reeditou e atualizou títulos fundamentais em obras de referência, como a Coleção Referência de Bolso, em coedição com a L&PM Editores, o Dicionário etimológico da língua portuguesa de Antonio Geraldo da Cunha e o Dicionário de dificuldades da língua portuguesa de Domingos Paschoal Cegalla.

Igualmente importante em seu catálogo é o Dicionário do petróleo, o primeiro em língua portuguesa, coordenado por Elói Fernadez y Fernandez a frente de um conselho editorial composto por profissionais selecionados entre os mais respeitados do Brasil. Assim como o Dicionário analógico da língua portuguesa, de Francisco Ferreira Azevedo, único thesaurus atualizado em nosso idioma.

Em 2016, a Nova gramática para concursos foi ganhadora do Prêmio Celso Cunha pela UBE. No mesmo ano também publicamos a 7ª edição da Nova gramática do português contemporâneo, de Lindley Cintra e Celso Cunha, uma das mais conceituadas do idioma.

Atualmente, a Lexikon Editora possui o Selo Odisseia. Conheça-o aqui.

13 Comentários

  1. Ricardo disse:

    Pretendeis dar a lume o “Dicionário Geral e Analógico da Língua Portuguesa”, de Artur Bivar? Já há várias décadas que esta pérola não recebe nova edição, escoimada de erros tipográficos.

    Grato.

    Ricardo.

    —-

  2. Senhores,

    Na definição da palavra abaixo tem um erro de pontuação no item 2, depois da palavra “Orar”. Está faltando uma vírgula.

    O formulário de contato do website iDicionário Aulete está com problema. Quando o botão “Enviar” é clicado, o sistema do website informa erro. Tentei por três vezes enviar esta mensagem por lá e desisti.

    O formulário de contato (Fale conosco) do website Lexikon também está indisponível para envio de mensagem: “Não foi possível enviar a sua mensagem.”.

    Que maravilha!

    Sufragar
    (su.fra.gar)
    v.
    1. Apoiar com sufrágio ou voto: Os eleitores sufragaram o melhor candidato
    2. Orar dar esmolas ou fazer caridades em favor da alma de (um morto): O padre sufragou o morto
    [F.: Do lat. suffragare]

    06/10/2014

  3. Boa tarde,

    para além do preço, qual a diferença entre o “dicionário analógico da língua portuguesa” e o “thesaurus essencial dicionário analógico”?

    e ainda, há previsão para o lançamento de ambas as obras em versão digital, ou serão sempre comercializadas em brochura?

    grato

    Toni Gonçalves
    Belém PA

    • admin disse:

      Toni,
      Qual a diferença desse Thesaurus para o Dicionário Analógico do mesmo autor?
      O Thesaurus (2013)é a versão essencial do Dicionário analógico (2010). Essencial nos dois sentidos da palavra, o de constituir a sua ‘essência’, ou seja, o que nele é fundamental, e o de ser indispensável, imprescindível para o fim a que se destina (encontrar rapidamente a palavra mais adequada).
      O Dicionário analógico (2010) as palavras em vez de serem apresentadas em ordem alfabética e sumariamente definidas, como num dicionário comum, são agrupadas por afinidades, por campo semântico, por vizinhança, já no Thesaurus (2013) as palavras estão em ordem alfabética. A melhor maneira de procurar uma palavra tanto no Thesaurus como no Dicionário analógico é por meio do Índice no final do livro.
      Ou seja, Analógico, que é oragnizado por temas, a busca só pode ser feita a partir do índice, onde cada ‘análogo’ em sua ordem alfabética (para poder ser achado) envia aos termos ‘cabeça’ a que pertencem. No essencial, os termos ‘cabeça’ também estão em ordem alfabética, podendo ser achados facilmente, mas são só pouco mais de 1.000. Os análogos (no índice)não chegam aos 100.000 do analógico, mas são algumas dezenas de milhares…
      Temos o Analógico Digital junto com o Aulete http://www.aulete.com.br/casa

  4. Daniel disse:

    Muito admiro essa Editora. Tenho um software, Gramática Eletrônica, que, embora um pouco desatualizado, ainda é minha melhor fonte de consulta offline. Pena que o mesmo só rode em sistemas operacionais de 32 bits, mas, mesmo assim, me compensa te-lo por perto.

  5. Andréia L. Vale Silva disse:

    Olá,
    Me chamo Andréia e estudo Secretariado Executivo na Fatec Itaquaquecetuba no 6º semestre.
    A Fatec possui cursos de Secretariado, Gestão Comercial e Gestão da Tecnologia da Informação.

    Temos um projeto para realizarmos uma Feira do Livro na unidade, o projeto surgiu em uma visita a Feira do livro na USP, onde conhecemos os organizadores, e eles nos passaram os contatos das editoras.
    A Feira será realizada no dia 25 de Setembro, das 10:00 as 20:00 dentro das instalações da Fatec, contando com a presença dos estudantes, professores, além de ser aberto ao público com ampla divulgação da Feira.

    Gostaríamos de contar com a participação de vocês no evento.
    Como não haverá a cobrança de aluguel do espaço, solicitamos que as editoras possibilitem a venda dos livros com um desconto mínimo de 25%.

    Aguardamos um breve retorno.
    Atenciosamente,.

  6. Fernando Vieira Peixoto Filho disse:

    Boa tarde.

    Sou Professor Adjunto de Língua Portuguesa na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (Instituto Multidisciplinar – Campus Nova Iguaçu) e me tenho dedicado à descrição gramatical do português em sua variedade padrão escrita. Com auxílio de uma equipe de estudantes, terminei recentemente o projeto Dicionário de Sintaxe do Português. Estamos em processo de prestação de contas à FAPERJ, que financiou o projeto, e elaboração do Relatório Científico, que representa um compêndio de Morfossintaxe do Português.

    Gostaria de saber se a Editora Lexikon teria interesse de publicar a obra em conjunto com a FAPERJ, agência para a qual solicitarei fomento à publicação.

    Aguardo retorno.

    Att.,

    Prof. Dr. Fernando Vieira Peixoto Filho

  7. Emeli disse:

    Boa tarde,

    Qual o tempo da entrega do livro? Não se refere na escolha do frete.

    Att,