Autores

AUTORES

  • Adriano da Gama Kury
  • Alexandra Feldekircher Müller
  • Amadeu Marques
  • Ana Lúcia de Sousa
  • Anderson Manzoli
  • Antenor Nascentes
  • Antonio Brancaglion Jr
  • Antônio Carlos Castañon Vieira
  • Antônio Carlos do Amaral Azevedo
  • Antônio Correia de Pinho
  • Antônio Dias Leite
  • Antônio Geraldo da Cunha
  • Barbara Ann Kipfer
  • Barbara J. King
  • Bike Snob NYC (Eben Weiss)
  • Carlos Alberto de Macedo Rocha
  • Carlos Alberto Rabaça
  • Carlos Eduardo Falcão Uchôa
  • Carlos Eduardo Penna de M Rocha
  • Castelar de Carvalho
  • Celso Cunha
  • César Muniz
  • Cilene da Cunha Pereira
  • Cláudia Maria Campinho dos Santos
  • Dirceu Amorelli
  • Domingos Paschoal Cegalla
  • Dominique Enright
  • Edila Vianna do Nascimento
  • Eloi Fernández y Fernández
  • Emanuel Araújo
  • Fabrisia Freitas
  • Francisco Ferreira Azevedo
  • Gisele Aga
  • Glória Dias
  • Grant Petersen
  • Gustavo Guimarães Barbosa
  • Heron Werner Jr
  • Instituto de Energia da PUC-Rio
  • Janete dos Santos Bessa Neves
  • Jeanne Marie Leprince de Beaumont
  • João Malaca Casteleiro
  • Jorge Lopes
  • Julie MacIntosh
  • Júlio César Rodrigues Junior
  • Lindley Cintra
  • Luigi Pirandello
  • Luiz Eduardo de Castro Neves
  • Marcia Esteves Agostinho
  • Maria Aparecida Lino Pauliukonis
  • Maria da Graça Krieger
  • Maria Ferro
  • Maria Tereza de Queiroz Piacentini
  • Marieta Pinheiro de Carvalho
  • Marilda Nascimento Carvalho
  • Mário Luiz Alves de Lima
  • Maurício Dominguez Perez
  • Nélia da Silva Lima
  • Oswaldo A Pedrosa Junior
  • Paulo Geiger
  • Paulo Rónai
  • Regina Célia Cabral Angelim
  • Renata de Cássia Menezes
  • Ricardo Cavaliere
  • Richard M Langworth
  • Rúbia Bueno do Prado
  • Ruth Londres
  • Sergio Alex Azevedo
  • Simone Barbosa
  • Sonja Lyubomirsky
  • Stella Moutinho
  • Ubiratan Oliveira
  • Walmirio Macedo
  • Walter Costa Porto
  • Winston Churchill

Adriano da Gama Kury (1924-2012) era graduado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e em Livre Docência em Língua Portuguesa pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Realizou atividades de extensão em importantes universidades federais do Brasil. Foi homenageado com a Medalha Aurélio Buarque de Holanda de Filologia, concedida pela União dos Escritores do Rio de Janeiro, tendo recebido também a Medalha Rui Barbosa, entregue a personalidades que se destacaram na prestação de serviços à cultura do país. Atuou como chefe do setor de Filologia da Fundação Casa de Rui Barbosa.

Obras:


Alexandra Feldekircher Müller doutora em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Gradução em Linguística Aplicada da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS (2013), com a realização de doutorado sanduíche no Instituto de Linguística Teórica e Computacional de Lisboa (2011-2012). Mestre em Letras – Estudos da Linguagem: Lexicografia e Terminologia pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da UFRGS (bolsista CNPq) (2009). Graduada em Letras/Português UNISINOS (2006). Professora na UNISINOS. Professora de metodologia da pesquisa na especialização lato sensu da UNISINOS e da Escola Superior da Magistratura Federal – Esmafe/POA (2015-2018). Foi professora visitante do PPG em Linguística Aplicada da Unisinos. Foi vice-líder do grupo de pesquisa Termilex – Grupo de Estudos em Terminologia e Lexicografia da UNISINOS, coordenado pela professora Maria da Graça Krieger. Membro do GT de Lexicologia, Lexicografia e Terminologia da Anpoll. Professora convidada do Curso de Formação Inicial da Magistratura ofertado pela Escola da Magistratura Federal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Publicou a obra: “Dicionário na escola: manual didático para o uso em sala de aula”. Integra o Comitê Executivo de RITerm (2016/2018- 2018-2021). Atualmente é Coordenadora Stricto Sensu na Unidade de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisinos.

Obra:


Amadeu Marques nasceu em Lisboa, Portugal, e veio para o Brasil com 13 anos de idade. É formado em língua inglesa pela UFERJ (atual UFF), tem o Certificado de Proficiência em Inglês da Universidade de Michigan, EUA, e o da Universidade de Cambridge, Inglaterra. Foi professor por mais de trinta anos em escolas públicas, particulares, cursos pré-vestibulares e de idiomas no Rio de Janeiro. Escreveu apostilas para cursos pré-vestibulares, as quais foram os embriões de seus livros, publicados desde 1978. A longa experiência em sala de aula tem norteado sua reconhecida produção literária e lexicográfica.

Obra:


Ana Lúcia de Sousa possui graduação em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (1993), mestrado em Engenharia de Sistemas e Computação pela Coppe/UFRJ (1999) e doutorado em Engenharia de Sistemas e Computação pela Coppe/UFRJ (2006). Atualmente é professora nos cursos de engenharia e matemática da Universidade Estácio de Sá. Coordena o Curso de Licenciatura em Matemática EaD e a Pós em Educação Corporativa e Gestão do Conhecimento da Universidade Estácio de Sá. Possui experiência nos Ensinos Fundamental e Médio. Área de estudo: otimização linear e não linear.

Obra:


Anderson Manzoli

Engenheiro Civil, formado na UFSCar, Mestrado e Doutorado na EESC-USP São Carlos no STT – Transportes. Atualmente coordenador de curso na Estácio Ribeirão Preto – SP, coordenando Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia de Computação, Ciências da Computação, e pós em Engenharia de Segurança do Trabalho presencial. No ensino EAD nos cursos de Engenharia Civil e Engenharia de Produção. Sócio proprietário da Vante Engenharia, experiência e pesquisa nas áreas de projeto, geomática, gestão de projetos e gestão de pessoas.

Obra:


Antenor Nascentes (1886-1972) filólogo, linguista e lexicógrafo brasileiro.  Em 1902, concluiu, como aluno laureado, o curso de Ciências e Letras pelo Ginásio Nacional (hoje Colégio Pedro II) e começou a lecionar humanidades em 1903. Formou-se em Direito pela Faculdade Livre de Ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro em 1908 e exerceu a profissão como funcionário da Secretaria de Estado da Justiça e Negócios Interiores. Em 1919, vencendo concurso em 1° lugar, foi o primeiro professor catedrático de Espanhol do Colégio Pedro II. Nove anos depois, transferiu-se da cátedra de Espanhol para a de Português, por decreto de 23 de janeiro de 1928.

Mais tarde foi professor universitário, tendo ocupado a cátedra de Filologia Românica da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade do Rio de Janeiro.

Do empenho de Antenor Nascentes em anotar as leituras resultou riquíssimo fichário, que lhe serviu de suporte para os consistentes verbetes de seus dicionários.

Seu interesse pela Filologia começou cedo. E a prova se pode ler na dedicatória de seu Dicionário Etimológico a dois professores do Colégio Pedro II: “À memória de Fausto Barreto e Vicente de Sousa, os saudosos mestres que despertaram em mim o gosto dos estudos filológicos.”

Lia os autores gregos e latinos no original, o que lhe deu maior segurança nas pesquisas que envolviam o grego e o latim. Conhecia as principais línguas românicas e fez incursões pelo germânico e anglo-saxão. Falou e traduziu o alemão, língua que ele considerava instrumento indispensável ao filólogo.

Notável pesquisador, distinguiu-se como didata, sendo também tradutor e editor de textos.

Em 1933, a Academia Brasileira de Letras concedeu-lhe o primeiro prêmio Francisco Alves para a melhor obra sobre a língua portuguesa. Em 1935, a Congregação do Liceu de Goiás conferiu-lhe o título de Doutor Honoris Causa. Em 19 de setembro de 1936, foi condecorado pelo Governo Português com o Oficialato da Instrução Pública pelos serviços prestados às letras portuguesas. Em 1952, recebeu o título de Professor Emérito do Colégio Pedro II.

Obra:

  • Dicionário de sinônimos

Antônio Carlos Castañon Vieira possui graduação em ENGENHARIA ELETRÔNICA pelo Instituto Militar de Engenharia (1989), mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999) e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é gerente de projeto do Centro Tecnológico do Exército, perito judicial – Tribunal Regional do Trabalho 1a Região (RJ) e professor da Universidade Estácio de Sá. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Telecomunicações

Obra:


Antônio Carlos do Amaral Azevedo lecionou História Antiga e Medieval por 14 anos como professor visitante na UFRJ, além de ter ministrado aulas nas redes particular e estadual de ensino por mais de trinta anos. Exerceu ainda cargos de direção no ensino público e privado, e executou projetos educacionais em estados do Sudeste, Norte e Sul do Brasil. É autor de outras obras ligadas ao ensino de História.

Obras:


Antônio Correia de Pinho nasceu em Vale de Cambra em 1938. Finalizou o curso de Geologia na Faculdade de Ciências de Lisboa em 1966, a que se seguiram vários cursos de complementação profissional nas áreas de Geologia e Engenharia dos Petróleos, Economia e Finanças, quer nos Estados Unidos da América quer no Reino Unido. Profissionalmente exerceu várias funções nas áreas de Geologia, Administração e Executiva em Angola, Estados Unidos da América e Brasil, tendo-se reformado em 2002. Foi Conselheiro do Instituto Brasileiro do Petróleo de 1996 a 2001.

Obra:


Antonio Dias Leite (1920-2017) formou-se pela Escola Nacional de Engenharia da UFRJ em 1941. Trabalhou nas indústrias Worthington, nos Estados Unidos (1942/43). Retornando ao Brasil, orientou-se para a área de engenharia econômica.

Na UFRJ, ingressou como professor assistente de estatística. Obteve os títulos de Docente-livre e de Professor Titular (1952) em concursos prestados na Escola de Engenharia e na Faculdade de Economia e Administração. Foi responsável pela estruturação da Fundação Universitária Jose Bonifácio (1975). Após aposentar-se (1985), recebeu do Conselho Universitário o título de Professor Emérito.

Coordenou, na Fundação Getulio Vargas, a primeira avaliação da Renda Nacional (1951). Fez parte da ECOTEC – Economia e Engenharia Industrial (1957-67), quando ali se realizaram inúmeros estudos de infraestrutura. Preparou o Projeto de Lei que instituiu o incentivo fiscal ao reflorestamento. Coordenou a constituição da Aracruz Florestal. Interrompeu atividades em 1960 para viajar pelos Estados Unidos durante oito meses como observador da economia daquele país, a convite da Eisenhower Exchange Fellowships.

Na administração pública, exerceu os cargos de secretário de política econômica do ministro da Fazenda San Tiago Dantas (meses de 1963), presidente da Companhia Vale do Rio Doce (1967-69), e de ministro de Minas e Energia (1969-73) do governo Emílio Garrastazu Médici. Neste último promoveu significativa reestruturação dos setores elétrico e mineral e avanços nas pesquisas geológicas e tecnológicas, que são explicadas neste livro.

Desde 1964 esteve presente na imprensa com artigos sobre economia nacional, energia e recursos naturais.

Obra:


Antônio Geraldo da Cunha linguista, etimólogo, filólogo e arquiteto. Escreveu inúmeras obras de referência sobre a língua portuguesa.

Obras:


Barbara Ann Kipfer é autora de mais de trinta livros, incluindo os best-sellers nos Estados Unidos 14.000 Things to Be Happy About – e dos calendários Page-A-Day® nele baseados –, Instant Karma e 8.789 Words of Wisdom. Seus outros livros incluem: The Order of Things, How Things Happen, Roget’s 21st Century Thesaurus, The Flip Dictionary e Roget’s International Thesaurus, Sixth Edition. Barbara é mestre em estudos budistas e Linguística, e doutora em Linguística e Arqueologia.

Obras:


Barbara J. King é professora de antropologia na Faculdade de William e Mary. É autora e editora de vários livros, incluindo Being With Animals. Ela participa regularmente do blog da National Public Radio e escreve resenhas para o Times Literary Supplement.

Obra:


Bike Snob NYC. Eben Weiss é o blogueiro nova-iorquino por trás de bikesnobnyc.blogspot.com, onde escreve sob o pseudônimo de BikeSnobNYC. Embora seja um apaixonado pelo ciclismo, participando frequentemente de corridas e utilizando a bicicleta como seu principal meio de transporte, é também bastante crítico e, sempre de maneira bem-humorada, propõe reflexões e mudanças relacionadas à cultura da bicicleta e à forma como as pessoas transitam. Além do blog, Weiss também é autor do livro Bike Snob e já publicou textos no New York Times, nas revistas Outside e Bicycling, onde atualmente escreve uma coluna mensal.

Obra:


Caldas Aulete. O lexicógrafo português Francisco Júlio de Caldas Aulete (1823- 1878) nunca viu a conclusão do Dicionário Contemporâneo de Língua Portuguesa, que levou o seu nome. Na data de sua morte, a escrita do dicionário ainda se encontrava na letra A, e o projeto foi levado à frente por Santos Valente. Caldas Aulete era também professor, escritor, político e jornalista. Trabalhou em liceus portugueses e escreveu diversas obras de referência e cadernos para exercícios de caligrafia.

Obras com a coordenação do lexicógrafo Paulo Geiger:

Novíssimo Aulete dicionário contemporâneo da língua portuguesa


Carlos Alberto de Macedo Rocha (1929-2019) era economista – e também amante das palavras.

Obra:


Carlos Alberto Rabaça consultor de comunicação, professor e sociólogo, pós-graduado em Comunicação Institucional pelo Center Office of Information, de Londres. Foi assessor de relações públicas do governo Médici. Era responsável pelas atividades de Comunicação Social da Petróleo Ipiranga, atuou como diretor de comunicação da Shell do Brasil. Em 1979, assumiu a Comunicação Institucional da Petrobras. Também foi diretor da Fundação Roberto Marinho. Lecionou na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da UniverCidade. Atualmente é consultor de comunicação e marketing de empresas e entidades de classe, além de escrever artigos para jornais do Rio de Janeiro e São Paulo.

Obra:


Carlos Eduardo Falcão Uchôa Professor Emérito e Professor Titular de Linguística da Universidade Federal Fluminense. Livre-Docente. Coordenador da coleção Linguística e Filologia. Foi homenageado com uma miscelânea Entre as fronteiras da linguagem (2006).

Escreveu capítulos de livros e numerosos artigos em vários periódicos e miscelâneas, e capítulos de livros. Foi autor de: A linguística e o ensino de português (1991); organizador dos Dispersos de J. Mattoso Câmara Jr. (2004); O ensino da gramática: caminhos e descaminhos (2 ed., 2016), com que alcançou o Prêmio Francisco Alves da Academia Brasileira de Letras; A linguagem: teoria, ensino e historiografia (2008) e Sobre o ensino da análise sintática: história e redirecionamento (2010), selecionado pelo Programa Nacional da Biblioteca Escolar do Professor (PNBE-2013).

Obras:


Carlos Eduardo Penna de M Rocha

Obra:


Castelar de Carvalho professor universitário com Doutorado em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor Adjunto (aposentado) da UFRJ. Membro da Academia Brasileira de Filologia.

Membro e professor do Instituto de Língua Portuguesa do Liceu Literário Português. Coordenador Acadêmico do Curso de Especialização em Língua Portuguesa do Liceu Literário Português (pós-graduação lato sensu). Autor de inúmeros artigos e ensaios publicados em revistas especializadas sobre Língua Portuguesa e Estilística.

Autor dos livros: Para compreender Sausssure, Ensaios gracilianos e Noel Rosa, língua e estilo (este em coautoria com Antônio Martins de Araújo).

Obra:


Celso Cunha (1917-1989) foi filólogo e ensaísta. Doutor em Letras e Livre-docente em Literatura Portuguesa pela Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil. Celso Cunha deu contribuição essencial para o estudo dos cancioneiros, fundamentais para o conhecimento da origem e evolução da língua. Outra vertente dos seus estudos está nas inúmeras gramáticas que escreveu, a começar pelo Manual de português, publicado em 1965 e com muitas reedições. Fazia o roteiro para os vários níveis de ensino aos quais se dedicava no Colégio Pedro II e na Faculdade de Filosofia. Editou uma Gramática do português contemporâneo (1966), uma Gramática moderna e uma Gramática da língua portuguesa (1972). Seu último trabalho de vulto foi a Nova Gramática do português contemporâneo, escrita em colaboração com Luís Filipe Lindley Cintra, da Universidade de Lisboa. O livro trabalha na chamada linguística contrastiva, que busca um código contrastivo da lusofonia. Nele se examinam, pela primeira vez, em confronto, as normas brasileira, portuguesa e africana do idioma.

A terceira vertente da obra de Celso Cunha é a de ensaios com reflexões sobre a língua, entre os quais os livros Língua portuguesa e realidade brasileira, A questão da norma culta brasileira, Uma política do idioma, Conservação e inovação do português no Brasil, Língua, nação, alienação e Em torno do conceito de brasileirismo.

Foi membro da Comissão Machado de Assis, encarregada de elaborar a edição crítica das obras do escritor, e da Comissão para fixação da Nomenclatura Gramatical Brasileira, em 1957; presidente do Grupo de Trabalho, criado pelo ministro da Educação e Cultura Nei Braga, destinado a apresentar sugestões objetivando o aperfeiçoamento do ensino do Português, em 1976; revisor do texto da atual Constituição do Brasil, a convite da Assembleia Constituinte, em 1987.

Recebeu o Prêmio José Veríssimo (Ensaio e Erudição) da Academia Brasileira de Letras (1956); o Prêmio Paula Brito, da Prefeitura do antigo Distrito Federal (1958); o Prêmio Moinho Santista de Filologia (1983).

Obras:


César Muniz

Obra:


Cilene da Cunha Pereira ( -2019) foi mestre e doutora em Letras pela UFRJ, onde lecionou por mais de 25 anos. Participou de processos de avaliação do ensino em nível nacional, estadual e municipal e de atualização de professores dos ensinos fundamental e médio. Foi organizadora da Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha (Lexikon, 2ª ed., 2010).

Obras:


Cláudia Maria Campinha dos Santos Graduada em Ciências Biológicas, Mestre e Doutora em Química pelo Instituto Militar de Engenharia. Pós-doutorado em Química projeto Desenvolvimento de novos aditivos e biocombustíveis através da biotransformação da glicerina, no Instituto Militar de Engenharia. Atualmente é docente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, professora colaboradora do Instituto Militar de Engenharia e professora pesquisadora da Universidade Estácio de Sá.

Obra:


Dirceu Amorelli doutor em Planejamento Energético (UFRJ/2013), Mestre em Economia (IBMEC-RJ/2008), pós-graduado em Engenharia de Petróleo na especialidade Engenharia de Reservatórios (UNICAMP-SP/2015), MBA em Finanças (IBMEC-RJ/2005), graduado em Engenharia Mecânica (CEFET-RJ/1990), e Servidor Público Federal aprovado no concurso de 2005 para o cargo de Especialista em Regulação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Obra:


Domingos Paschoal Cegalla (1921-2013) formou-se em Letras Clássicas na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras do Paraná. Lecionou língua portuguesa, literatura e latim em Curitiba, São Paulo] e no Rio de Janeiro, onde residiu de 1953 até seu falecimento, em 2013.

É autor da Novíssima gramática da língua portuguesa (1964), do Dicionário escolar: língua portuguesa e da Nova minigramática da língua portuguesa, todas elas consagradas obras didáticas.

Publicou também Canção de Eurídice, Um brado no deserto (poesia) e Triângulo amoroso (romance). Traduziu diretamente do grego Antígona, Electra e Édipo Rei, esta última agraciada com o Prêmio Jabuti.

Obras:


Edila Vianna do Nascimento é graduada em Português e Inglês pela UFRJ e em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRN. Doutora em Letras Vernáculas pela UFRJ, foi professora da UFRN e da UFRJ, de onde aposentou-se em 1996.  Lecionou Língua Portuguesa em colégios da Rede Pública e Particular do Rio de Janeiro. Atualmente é Professora Adjunta da UFF e desenvolve pesquisas sociolinguísticas junto a importantes universidades federais.

Obras:


Eloi Fernández y Fernández graduado em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio (1974), Mestre em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio (1978), Doutor em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio (1984) e Pós-doutorado na Unversity of California – Berkeley (1988). Atualmente é professor do Departamento de Engenharia Mecânica da PUC-Rio e Diretor Geral da Organização Nacional da Indústria do Petróleo ONIP.

Obras:


Emanuel Araújo (1942-2000) foi um historiador, tradutor e editor brasileiro. Exerceu a docência e a pesquisa no Departamento de História da Universidade de Brasília. Recebeu o título de Professor Emérito (post mortem) da Universidade de Brasília em 2002.

Após o afastamento da UnB por motivos políticos, Emanuel Araújo estabeleceu-se no Rio de Janeiro, iniciando uma profícua carreira como editor, exercendo essa função nas editoras Bloch, Record e José Olympio. Foi membro das equipes da Enciclopédia Mirador Internacional, na qual trabalho com Antônio Houaiss, e da Enciclopédia Ilustrada do Brasil, e responsável pela publicação de coleções de documentos, como por exemplo, Cartas de D. Pedro I à Marquesa de Santos. Chefiou os setores de editoração no Centro de Pesquisa e Documentação Histórica da Fundação Getúlio Vargas e do Arquivo Nacional. Desta produtiva experiência surgiram dois textos: Publicações de documentos históricos, de 1985, e uma das maiores obras da arte editorial escrita em português, A Construção do Livro: princípios da técnica de editoração (1986). Para muitos seria, com efeito, uma espécie de complemento ao clássico Elementos de bibliologia de Antônio Houaiss com quem Emanuel estabeleceu uma parceria de trabalho e uma amizade. Houaiss prefaciou A construção do livro, elogiando-o como um novo passo e um grande ganho para o mundo lusófono.

A construção do livro continua sendo a obra de referência mais consultada por profissionais e leigos interessados no processo de produção editorial.

Obra:


Fabrisia Freitas

Obra:


Francisco Ferreira Azevedo nasceu na cidade de Goiás e é considerado o Euclides da Cunha do Cerrado, ou, como diz Heitor Rosa, “o Euclides da Cunha goiano”. Um homem “extremamente versátil” e, em termos produtivos, “irrequieto”. O quase-biógrafo — o escritor não se apresenta como “biógrafo”, dados os limites de sua pesquisa —aprendeu quatro idiomas, porém não se sabe “se os falava com fluência. Mas tinha um conhecimento suficiente para comunicação escrita e falada. Um educador. Iniciou sua docência em 1901, no Liceu, como professor de inglês e, depois, geografia, astronomia, mecânica e matemática. Em 1921 torna-se diretor do colégio. Em 1930 recebe a direção da Escola Normal. Um escritor versátil, “oscilando entre” a “literatura e a ciência”. Depois do primeiro livro, “As datas do descobrimento da América e do Brasil, segundo o Calendário Gregoriano” (1897), escreveu “Páginas áridas” (1913) e “Considerações gerais sobre as quantidades negativas” (1919). Os primeiros trabalhos indicam que já se tratava de um pesquisador. Seu trabalho mais conhecido é o “Dicionário analógico da língua portuguesa” é um livro para estar junto aos grandes dicionários brasileiros, como o do Aulete, Aurélio e o de Houaiss.

Obra:


Gisele Aga nasceu em São Paulo, capital. É formada em língua portuguesa, língua inglesa e literatura pela FMU e pós-graduada em Marketing pela ESPM. Tem especializações na área de educação pela PUC-SP e o Certificado de Proficiência em Inglês da Universidade de Cambridge, Inglaterra. Foi professora de inglês em escolas particulares, cursos de idiomas e empresas por mais de trinta e cinco anos. É autora e editora de coleções de língua inglesa desde 2003. Atua, também, na capacitação de editores de materiais didáticos e de professores para cursos à distância.

Obra:


Glória Dias

Obra:


Gustavo Guimarães Barbosa é consultor especializado em editoração, marketing institucional e endomarketing. Diretor da TextoImagem Criação e Produção. Dirigiu as editoras Codecri (Pasquim) e Rocco. Mestre em Comunicação pela UFRJ, foi professor nas faculdades Hélio Alonso e Estácio de Sá. Lecionou em programas de treinamento de profissionais, na área de Comunicação, para diversas organizações.

Obra:


Instituto de Energia da PUC-Rio (IEPUC) foi criado em 2001 com o objetivo de responder às demandas do setor de energia através de uma abordagem interdisciplinar da energia, envolvendo fatores técnicos, regulatórios, econômicos, sociais e ambientais. O IEPUC desenvolve projetos de P&D com o intuito de refinar tecnologias e serviços para o setor energético brasileiro. Também desenvolve programa de formação de recursos humanos qualificados com curso de pós-graduação com forte adesão do setor. Dessa forma, equilibra conhecimento acadêmico e experiência de mercado, desenvolvendo também estudos e palestras temáticas.

Obra:

  • O sol vai voltar amanhã: um espectro de análises sobre a energia fotovoltaica

Janete dos Santos Bessa Neves é mestre e doutora em Letras pela PUC-Rio. Fez pós-

-doutorado na Universidade Nova de Lisboa. Possui experiência no ensino superior como professora na PUC-Rio. Trabalha na formação de professores de ensino fundamental e médio, ministrando cursos de aperfeiçoamento e especialização

em Língua Portuguesa. Compõe equipes de professores em diversos sistemas de avaliação (Saeb, Enem, Enade, Saresp e Encceja). É autora de Corre voz no jornalismo do início do século XIX. Estudo semântico-enunciativo do Correio Braziliense e da Gazeta de Lisboa (Paco Editorial, 2012).

Obra:


Jeanne Marie Leprince de Beaumont é francesa e ficou conhecida por ser a primeira pessoa a produzir, deliberadamente, a produção de uma literatura infantil, buscando um estilo simples de linguagem que pudesse ser lido por iniciantes. A publicação Magasin des enfants ou dialogue entre une sage gouvernante et plusieurs de ses élèves de grande distinction é datada de 1758, e consagrou sua autora como a pioneira da produção para crianças.

Obra:


João Malaca Casteleiro é licenciado em Filologia Românica e Doutorado em Linguística Portuguesa pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Professor catedrático (jubilado) da mesma Faculdade. Sócio efetivo da Academia das Ciências de Lisboa. Sócio correspondente da Academia Brasileira de Filologia e da Academia Galega da Língua Portuguesa. Doutor Honoris Causa pela Universidade de Macau. Agraciado pelo Governo Francês com o grau de Cavaleiro das Palmas Académicas. Condecorado pelo Presidente da República Portuguesa com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique. Principal responsável, por parte da Academia das Ciências de Lisboa, pela elaboração do Acordo Ortográfico de 1990 e da respectiva Nota Explicativa. Coordenador do Dicionário da língua portuguesa contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa e da versão portuguesa do Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Autor e coautor de uma vasta bibliografia nos domínios da sintaxe, do léxico, da ortografia e do ensino do Português como língua materna e como língua estrangeira.

Obra:


Julie MacIntosh, premiada jornalista de economia, cobriu a tomada da Anheuser-Busch para o Financial Times como sua correspondente para fusões e aquisições nos Estados Unidos. Cobriu também o colapso do sistema financeiro de 2008 e contribuiu para a coluna Lex, com ênfase especial em economia e negócios. Por seis anos, antes de integrar a equipe do jornal, foi repórter e correspondente da Reuters e, em 2003, foi nomeada uma dos “30 melhores jornalistas de negócios com menos de 30 anos” pela NewsBio. Com bolsa de estudos Knight-Bagehot Fellow, Julie MacIntosh estudou jornalismo de negócios na Columbia University e fez mestrado em jornalismo na Graduate School of Journalism da Columbia, além de um mestrado em administração de empresas na Graduate School of Business da Columbia. Formou-se pela Medill School of Journalism, da Northwestern Unversity e aparece regularmente na CNBC e na MSNBC.

Obra:


Júlio César Rodrigues Junior possui graduação em Curso de Engenharia Metalúrgica pelo Instituto Militar de Engenharia (1994), mestrado em Ciência dos Materiais pelo Instituto Militar de Engenharia (2001) e curso pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais do Exército Brasileiro (EsAO). Atualmente é professor assistente V da Universidade Estácio de Sá (Resistência dos Materiais 2, Física Experimental e Teórica I e Matemática Financeira). Tem experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase análise de falhas e caracterização de materiais.

Obra:


Lindley Cintra (1925-1991) foi professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) desde 1951, onde se licenciou e doutorou em Filologia Românica, foi o principal responsável pela criação do Departamento de Linguística Geral e Românica, assim como da reforma do Centro de Estudos Filológicos, a partir de 1975, rebatizado como Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.

Lindley Cintra é incontestavelmente um nome de referência para o estudo e ensino da língua portuguesa, com uma atividade intelectual e científica que permanece como legado em suas numerosas obras, bem como no importante papel que desempenhou na orientação de investigadores e docentes.

Em setembro de 1983 foi agraciado com o grau de Comendador da Ordem da Liberdade e em junho de 1988 com o grau de Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública.

Obra:


Luiz Eduardo de Castro Neves é carioca, juiz de Direito, casado e pai de dois filhos.

Autor dos livros Pelo sim, pelo não: poemas em prosa, contos em poesia; Uma menti­ra leva a outra; As cartas de Antônio; O Brasil quase rimado entre outros.

Obras:


Marcia Esteves Agostinho é doutora em Engenharia de Produção pela Coppe/UFRJ, com pós-doutorado na PUC-Rio. Foi pesquisadora visitante na Universidade de Nottingham, Inglaterra, e hoje atua como pesquisadora e professora na Universidade Estácio de Sá.

Obra:


Maria Aparecida Lino Pauliukonis é professora titular de Língua Portuguesa da Faculdade de Letras da UFRJ, é Graduada em Letras (Português- Inglês) pela Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Franca – campus avançado da USP, Mestre em Literatura pela Universidade de São Paulo (USP), Doutora em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com Pós-doutorado em Análise do Discurso pela Universidade Paris 13, sob a supervisão de Patrick Charaudeau. Coordena o Laboratório de pesquisa CIAD- Rio (Círculo Interdisciplinar de Análise do discurso) com pesquisadores da UFRJ, UFF e UERJ, desenvolvendo Projeto sobre “Modalização e Enunciação no discurso midiático e literário”. É Líder do Grupo de Pesquisa em Análise do Discurso certificado pelo CNPq. Foi Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Letras Vernáculas da UFRJ de 2010- 2012; tem orientado vários alunos de Graduação – Iniciação científica – e de Pós-graduação, Mestrado, Doutorado – além de supervisionar também estágio de Pós-doutorado.

Obras:


Maria da Graça Krieger é licenciada em Língua e Literatura Portuguesas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mesma faculdade onde cursou a graduação em Língua e Literatura Latinas e o mestrado em Língua Portuguesa. Doutora em Linguística e Semiótica Geral pela USP e Pós-doutora em Terminologia pela Universidad Pompeu Fabra (Barcelona, Espanha), foi professora titular de Língua Portuguesa da UFRGS, onde ainda atua como professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Letras. Atualmente, é professora titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS).

Obras:


Maria Ferro

Obra:


Maria Tereza de Queiroz Piacentini Catarinense de Joaçaba, reside há mais de 30 anos em Florianópolis. Formou-se em Letras pela Universidade Federal de Santa Catarina em 1973 e Mestre em Educação pela mesma instituição em 2004. Foi redatora oficial em várias repartições estaduais, como Casa Civil, Secretaria da Reconstrução, Coordenadoria dos Desportos, Secretaria da Educação, Assembleia Legislativa e Fundação Catarinense de Cultura; professora da AMATRA e coordenadora geral da ESMESC.

Trabalhou com redação e revisão de correspondência oficial por mais de vinte anos. Em 1989 foi responsável pela revisão gramatical da Constituição do Estado de Santa Catarina e no ano seguinte começou a publicar artigos sobre questões vernáculas em diversos órgãos de imprensa. Atualmente ministra cursos de Português, faz revisões de textos e mantém a coluna semanal Não Tropece na Língua, publicada neste sítio e em diversas revistas eletrônicas e jornais do País.

Obra:


Marilda Nascimento Carvalho possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Católica de Pernambuco (1989), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Pernambuco (2005) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Pernambuco (2011). Possui pós-doutoramento em engenharia química da UFPE em processos adsortivos utilizando nanomateriais de carbono (2016) aplicados em tratamento de efluentes. Atua como docente Permanente no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Da UFRPE.

Obra:


Mário Luiz Alves de Lima atualmente é professor de matemática do Instituto Superior de Ensino. Especialização em Especialização em Educação e em cálculo e álgebra linear.

Obra:


Maurício Dominguez Perez é mestre em Administração de Empresas pelo FGV – SP e doutorou-se em História Social pela UFRJ com a tese “Estado da Guanabara: Gestão e estrutura administrativa do Governo Carlos Lacerda”.  Lecionou matérias de Administração de Empresas na Universidade Cândido Mendes e na Universidade Gama Filho. Atualmente é professor do IBMEC – Rio de Janeiro.

Obra:


Nélia da Silva Lima possui graduação em Química Industrial pela Universidade Estadual da Paraíba (2000) e mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Pernambuco (2003). Atualmente é docente da UniSãoMiguel no curso de Bacharelado em Farmácia.

Obra:


Oswaldo A Pedrosa Junior possui mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980) e doutorado em Engenharia do Petróleo pela Stanford University (1984).

Obra:


Paulo Geiger formou-se em design pela Escola Superior de Desenho Industrial, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. É editor de obras de referência e trabalhou como editor executivo, entre outras, das enciclopédias Delta-Larousse, Delta universa, Barsa, Mirador internacional e, entre outros, dos dicionários Koogan-Larousse, Caldas Aulete, Aurelio, Aulete digital. É ainda tradutor do inglês e do hebraico, do qual verteu para o português obras de Amós Oz e David Grossman.

Obras:


Paulo Rónai (1907-1992) nasceu na capital da Hungria numa família judaica, fez seus estudos primários em seu país natal, mas estudou também na França e na Itália antes de se transferir para o Brasil devido à Segunda Guerra Mundial. Aqui, travou relações de amizade com Aurélio Buarque de Holanda Ferreira – com quem assinou diversos trabalhos –, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, dentre outros. De seus trabalhos destacam-se as traduções para o português das centenas de contos reunidas em Mar de Histórias, além do trabalho minucioso de revisão, anotação, introdução e comentário da Comédia Humana, de Balzac.

Obra:


Regina Célia Cabral Angelim é doutora em Letras Vernáculas pela UFRJ, mesma faculdade onde fez a graduação, especialização e mestrado. Fez parte da Associação Brasileira de Linguística por quatro anos. Atualmente é Professora do Centro Universitário de Barra Mansa e Professor do Centro de Estudos do Departamento de Ensino e Pesquisa do Exército. Participa também da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Letras e Linguística e desenvolve projetos para o Círculo Interdisciplinar de Análise do Discurso.

Obras:


Renata de Cássia Menezes

Obras:


Ricardo Cavaliere possui graduação em Letras pela UFRJ, graduação em Direito, mestrado em Língua Portuguesa e doutorado em Língua Portuguesa pela mesma universidade. Fez estágio de pós-doutorado em História da Gramática no Brasil na UERJ. Atualmente é professor-associado e coordenador de pós-graduação lato sensu da Universidade Federal Fluminense e membro da Academia Brasileira de Filologia. Tem experiência na área de Letras e Linguística, com ênfase em Descrição do Português e na Historiografia dos Estudos Gramaticais.

Obra:

  • A gramática no Brasil: ideias, percursos e parâmetros

Richard M Langworth é autor dos Estados Unidos que se especializou em história automotiva e Winston Churchill. Ele foi editor de The Packard Cormorant de 1975 a 2001 e é curador da Packard Motorcar Foundation em Detroit, Michigan. Suas obras ganharam prêmios do Antique Automobile Club of America, Society of Automotive Historians, Old Cars Weekly, Packard Club e Graphic Arts Association of New Hampshire.

Langworth também é autor ou editor de Guia de um conhecedor dos livros de Sir Winston ChurchillChurchill em suas próprias palavras, Churchill sozinho, e nove outros livros sobre Churchill. Langworth fundou a Churchill Study Unit (1968) e serviu como presidente de seus sucessores, a International Churchill Society e o Churchill Center (1988-1999) e presidente do conselho de curadores (2000-2006). Ele foi editor do jornal “Finest Hour” de Churchill de 1982 a 2014 e consultor editorial do National Churchill Museum (2011–2015). Desde 2014, ele é membro sênior do Projeto Churchill no Hillsdale College. 

Obra:


Rúbia Bueno do Prado

Obra:


Ruth Londres

Obra:


Simone Barbosa

Obra:


Sonja Lyubomirsky é professora de Psicologia na Universidade da Califórnia, em Riverside. Seus estudos sobre a felicidade duradoura foram laureados com diversos prêmios concedidos pela John Templeton Foundation e National Institutes of Mental Health. A autora vive com a família em Santa Monica, na Califórnia.

Obra:


Stella Moutinho

 Obra:


Ubiratan Oliveira possui graduação em Engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia (1992), graduação em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras (1985) e mestrado em Engenharia Nuclear pelo Instituto Militar de Engenharia (1997). Atualmente é doutorando em Engenharia Nuclear na COPPE-UFRJ. Foi professor da Academia Militar das Agulhas Negras e atualmente é professor e coordenador acadêmico das engenharias civil, mecânica, e computação do IBMEC-RJ. Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Engenharia Mecânica.

Obra:


Walmirio Macedo (1930-2017) aposentou-se pela Universidade Federal Fluminense como Professor Titular. Doutor em Letras e Livre-Docente em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul com a tese “Para uma Gramática Estrutural da Língua Portuguesa”. Ao longo de sua vida, publicou cerca de trinta livros, entre os quais se destacam: Gramática da Língua PortuguesaElementos para uma estrutura da Língua PortuguesaAnálise sintática em nova dimensão e a sua última publicação: O livro da Semântica: um estudo dos signos linguísticos. Traduziu e adaptou ao Português a principal obra de Bernard Pottier, Linguistique générale: Théorie e description, que o próprio autor, em prefácio da edição brasileira considerou a de maior fidelidade ao seu ideário. Sua obra Gramática da Língua Portuguesa recebeu da Academia Brasileira de Letras o Prêmio Filologia João Ribeiro, em 1992. Exerceu funções públicas na administração superior como Presidente da Fundação Centro de Desenvolvimento de Educação e Cultura do Estado do Rio de Janeiro, da Fundação Instituto de desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro e da Fundação Escola de Serviço Público do Estado do Rio de Janeiro. Foi Membro da Academia Brasileira de Literatura, da Academia Carioca de Letras e da Academia Brasileira de Filologia.

Obra:


Walter Costa Porto, ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral, foi Professor de Direito Constitucional e de Direito Eleitoral da Universidade de Brasília e integrou o Conselho Federal de Educação. Autor, entre outros livros, de: O voto no Brasil (1ª edição em 1989, a 2ª em 2002) em que abordou os variados processos utilizados ao longo de nossa trajetória política, examinando desde as eleições para os Conselhos ou Câmaras do período colonial até os últimos pleitos de nossa 5ª República; Legislação eleitoral no Brasil – do século XVI a nossos dias, editado em 1996, onde, em colaboração com o Ministro Nelson Jobim, reuniu nossos textos normativos sobre nossos pleitos e sistemas de votos e A mentirosa urna, editado em 2004, onde estudou as deformações que enodoaram as eleições no Brasil, por meio do exercício tão constante e desabusado da fraude nas mesas eleitorais, na elaboração das atas, na “compressão oficial” tantas vezes denunciada.

Obra:


Winston Churchill Winston S. Churchill foi um carismático político, escritor e pintor nascido em 1874, na Inglaterra. Tornou-se primeiro-ministro no período da Segunda Guerra Mundial, revelando então a sua faceta de grande estrategista e estadista na oposição inglesa à ameaça de invasão pela Alemanha Nazista. Churchill esteve presente na concepção do Tratado do Atlântico Norte (NATO) e alcançou um prestígio mundial pela forma como assumiu o governo inglês nos períodos conturbados da Segunda Guerra Mundial. Ele faleceu em Londres em 1965. O fato de ter sido um grande chefe de Estado fez sombra a outras de suas facetas: escritor, pintor e memorialista.

Obra: